13 de jul de 2017

Capítulo 7 | Scream, Penguin!

Olá, pinguins!

No último capítulo, Danielps contou para Rico tudo o que ele havia descobrido sobre o assassino, e Rico, junto com seus amigos, estão mais próximos do que nunca de descobrir a identidade do assassino. 


Iglu de Rico, Club Penguin, 13:00 PM.

Rico estava deitado em sua cama, lendo aqueles jornais que tinha encontrado no Hotel Puffle, no dia anterior. 
- Pai, o que aconteceu naquele dia? - pergunta Rico, mostrando o jornal para o seu pai.
- Onde você achou isso? - pergunta Porquinho, o pai de Rico.
- Essa notícia estava numa mesa, lá no Hotel Puffle. - responde Rico.
- Ah, sim... é uma longa história, filho. Tem certeza que quer saber? - pergunta Porquinho.
- Sim, absoluta. - responde Rico.
- Ok. Antigamente, quando eu ainda estava na escola, eu amava a sua mãe, e ela me amava também. Mas, havia um outro pinguim, que também gostava de sua mãe, e em uma noite, ele resolveu me matar, mas, não era só eu, era também o pai da Bili e o Xerife Seyne. Ele odiava nós três. Naquela noite, nós estávamos sentados em uma mesa, e ele apareceu, com uma faca na mão, e quando ia nos atacar, chegou a polícia, que acertaram ele com um tiro no peito. - conta Porquinho.
- Nossa, então quer dizer que já houve uma tentativa de assassinato antigamente! Pai, tem certeza de que esse pinguim já morreu? E se ele, meio que "voltou", e quer se vingar, assassinando todos que os filhos dos três que ele odiava amam? - pergunta Rico.
- Impossível! Ele morreu, eu vi com os meus próprios olhos... - responde Porquinho. 
- Fique calmo, pai. Só de você ter me contado essa história já me ajudou bastante. Vou no iglu do Sponge, para nós investigarmos, juntando todas as pistas que nós sabemos. - diz Rico.
- Ok, filho. Boa sorte. - diz o pai de Rico.

Iglu de Sponge, Club Penguin, 14:00 PM.

Rico chegou no iglu de Sponge, e todos os seus amigos, Sponge, Bryan, Bili, Lilluane e Blaztox, estavam reunidos lá.
- Oi, gente! - diz Rico.
- Oi, Rico. Encontrou alguma coisa? - pergunta Bili.
- Sim, encontrei uma das maiores pistas que nós temos, com o meu pai. Ei, Blaztox, você já melhorou? - diz Rico.
- Sim, estou melhor. Saí do hospital ontem a noite, fiquei sabendo o que aconteceu com você e com o seu pai. - responde Blaztox.
- Que bom! Enfim, vou contar pra vocês a pista que eu tenho. No quarto em que eu estava ontem, havia uma mesa com jornais, que são estes que eu estou segurando. Nesses jornais, há um que conta a morte de um pinguim, que tentou assassinar três pinguins, a dez anos atrás. Adivinha quem são esses três pinguins? Meu pai, o pai da Bili, e o Xerife Seyne. - diz Rico, enquanto todos os outros ficavam de bicos abertos.
- Mas, por que esse pinguim queria matar os pais de vocês três? - pergunta Sponge.
- Bom, ele odiava meu pai, o pai da Bili e o Xerife Seyne, simples. Ele odiava meu pai porque ele amava a minha mãe, e esse pinguim também gostava da minha mãe. - responde Rico.
- E como ele morreu? - pergunta Lilluane.
- A polícia matou ele com um tiro no peito - responde Rico.
- Espera, se ele tentou matar os três que ele odiava, então, e se ele "voltou", e quer matar todos que os filhos dos três que ele odiava amam? - pergunta Sponge.
- É por isso que eu adoro você Sponge. Você pensa em tudo que eu penso. - diz Rico.
- Haha! - riem os seis pinguins.
- Meu pai disse que isso seria impossível, ele "voltar", então, vim pedir a opinião de vocês. - diz Rico. - Esse pinguim, tinha um filho? - pergunta Bryan. 
- Como assim? - pergunta Rico, que não entendeu a pergunta.
- Ah, um filho. E se o filho dele soube da história do pai, e quis se vingar. - responde Bryan.
- Bryan, você é um gênio! - exclama Rico.
- Faz muito sentido isso! - diz Blaztox.
Então Rico ligou para o seu pai, perguntando se o pinguim tinha um filho. O pai de Rico disse que sim, e os pinguins ficaram felizes em saber que estavam muito perto de descobrir quem era o assassino, que não era o Mister.
- Pessoal, agora que já temos praticamente todas as pistas, vamos logo procurar o meu irmão! Alguém tem um palpite de onde ele está? - diz Lilluane.
- Hmm... não sei um lugar não, mas, conheço alguém que sabe! - diz Rico.
- Quem?! - pergunta Sponge, Blaztox e Lilluane juntos.

Hotel Puffle, Club Penguin, 14:50 PM.

Os seis pinguins entraram no Hotel, e Rico reconheceu o pinguim da recepção.
- E aí Danielps, beleza? - diz Rico
- Opa, Rico! Tudo bem. Aposto que você e seus amigos estão procurando o Mister, não é? - pergunta Danielps.
- Como sabe? - pergunta Rico.
- Ouvi vocês conversando pela janela, hehe. - responde Danielps.
- Nossa... então, você sabe? - pergunta Rico.
- Mas é claro que eu sei! Lembra daquela caverna, que eu te falei que o assassino brincava lá em sua infância? - responde Danielps.
- Sim! - responde Rico.
- Então, é lá! - responde Danielps.
- Já sabemos que o assassino é filho de um pinguim que tentou matar os pais do Rico, Bili e da Lilluane, e ele quer vingança. - diz Sponge.
- Hmm... - diz Danielps.
- Muito, muito obrigado. - diz Rico, agradecendo.
- De nada! Será que eu posso ir com vocês? - pergunta Danielps.
- Pode! - responde Rico.
Então Danielps trancou as portas do Hotel, e os sete pinguins foram se preparar para ir até a caverna, salvar Mister, e descobrir quem é o assassino. 
- Vocês não acham melhor chamar a polícia para ir junto? - pergunta Lilluane.
- Não! Se chamarmos a polícia, o assassino mata todo mundo, sem dó! - responde Danielps.
- Ok... - diz Lilluane.
Os sete pinguins se equiparam com armas, montaram no carro do Sponge, e foram até a caverna que ficava perto da montanha mais alta da ilha.

Os pinguins estão muito perto de descobrir quem é o assassino! Mas, é uma pena que a série está acabando, esse foi o penúltimo capítulo... enfim, no próximo capítulo, os pinguins descobrirão a identidade do assassino! Até mais e... Pinguinando!